Certa madrugada fria irei de cabelos soltos ver como crescem os lírios. Quero saber como crescem simples, belos e perfeitos!Ao abandono nos campos...

segunda-feira, julho 16, 2012


Agora sim!
Chegou o verão ao Algarve… mas já chegou há uns tempos dirão vocês e muito bem, mas nós só notamos que ele realmente chegou quando ficamos sem lugar na praia para estender a nossa toalha, e quando ouvimos chamar por crianças com nomes de cantores franceses da década de 70.
Ora aqui a menina armada em chique, deixou o rebuliço das praias cheias e aventurou-se numa ilha onde só é acessível por barco particular. (obrigada aos meus amigos).
Já na famosa ilha, aproveito para colocar a leitura em dia, sem estar sempre a ser incomodada pelas conversas alheias, que muito embora não me interessem, sou obrigada a escutar tal é a aproximação de toalhas… De inicio até estranhei o facto não ouvir falar em jantares, noites mal dormidas e até outras intimidades, mas quando a conversa dos “vizinhos” começa aquecer aproveito para ir refrescar as ideias…
Ontem foi diferente, a leitura até se tornou prazerosa, os únicos sons que escutava eram de pássaros, e barcos a passarem…
Um relax absoluto…
Ou não…
A meio da tarde, os meus amigos resolveram ir ao outro lado da ilha tomar café, como eu e a cafeína não nos damos muito bem, preferi ficar sentadinha na minha odisseia literária.
Nem tinha passado uma hora, reparo que o barco dos meus amigos, estava quase a meio da ria, aquilo fez-me confusão e pensei que o barco estivesse à deriva, soltado amarras... sei lá…
Como estávamos literalmente sós naquela parte da ilha, não tinha a quem recorrer, então reparei num rapaz que andava a rodopiar num jet ski, (que por acaso já me estava a tomar conta dos nervos com tanto barulho) e levantei os braços a pedir ajuda… (estão a ver o filme, né?)
Veio o moçoilo todo solícito, e eu peço para ele trazer de volta o bote dos outros…
Qual não é o meu espanto quando o rapaz entra na água e levanta a âncora que estava presa na areia, e começa a puxar o barco… ai, ai, ai…
Será que não podiam ter avisado que os barcos têm uma trela extensível como os cães?
Para a próxima prefiro ficar tomar conta das crianças, ao menos sei como tratá-los (aprendi no curso de primeiros socorros), não deixar apanhar sol, dar muita água, e colocar protector.
Claro que a asneira ficou entre mim e o rapaz da mota… shame on you!



5 comentários:

homem sem blogue disse...

muito bom :)

homem sem blogue
homemsemblogue.blogspot.pt

NightDark disse...

ahahahahahahahahahahah...

Isolaste-te na ilha de Tavira? Estavas a esconder-te? :P

LIRIO SELVAGEM disse...

A Ilha de Tavira não é deserta NightDark... esconder do quê?

Jingas disse...

LOLOL. :)

s disse...

shame??? porquê? fizeste alguma coisa de mal?
Por isso é que eu não troco a companhia das crianças por nada deste mundo.
Os teus amigos é que te abandonaram, não deviam...


beijinhos.