Certa madrugada fria irei de cabelos soltos ver como crescem os lírios. Quero saber como crescem simples, belos e perfeitos!Ao abandono nos campos...

sábado, dezembro 29, 2007

A beleza de uma mulher!!!!




Para ter lábios atraentes, diga palavras doces.



Para ter olhos belos, procure ver o lado bom das pessoas.



Para ter um corpo esguio, divida sua comida com os famintos.



Para ter cabelos bonitos, deixe uma criança passar seus dedos por eles pelo menos uma vez por dia.



Para ter boa postura, caminhe com a certeza de que nunca andará sozinho.


Pessoas, muito mais que coisas, devem ser restauradas, revividas, resgatadas e redimidas; jamais jogue alguém fora.



Lembre-se que, se alguma vez precisar de uma mão amiga,
você a encontrará no final do seu braço. Ao ficarmos mais velhos, descobrimos porque temos duas mãos, uma para ajudar a nós mesmos, a outra para ajudar o próximo.


A beleza de uma mulher não está nas roupas que ela veste, nem no corpo que ela carrega, ou na forma como penteia o cabelo. A beleza de uma mulher deve ser vista nos seus olhos, porque esta é a porta para seu coração, o lugar onde o amor reside.



A beleza de uma mulher não está na expressão facial, mas a verdadeira beleza de uma mulher está refletida em sua alma. Está no carinho que ela amorosamente dá, na paixão que ela demonstra.


A beleza de uma mulher cresce com o passar dos anos.

sexta-feira, dezembro 21, 2007

Descoberta!


Uma música romântica...

Nós dois...

E o amor!

Noite de luar,

Com cheiro a perfume de madrugada!

Transpiras sensualidade...

A camisola, meio aberta

dá-me uma amostra da tua masculinidade...

Não te consigo resistir!

Dispo-a... e tu, com sorriso maroto, deixas-te levar...

Cai, no chão o primeiro obstáculo...

Desnudo-te...

toco-te...

Invado os teus caminhos, invento trilhas, e descubro o teu prazer!

Sinto-te!

Brinco com os teus pêlos,

primeiro com alguma timidez...

depois, mais ousada...

Minhas mãos exploram-te

Provoco-te...

Ficas extasiado!

Brinco com os teus cabelos,

beijo a tua boca, o teu rosto

Acaricio o teu pescoço, tuas costas, e pouso os meus lábios no teu peito,

e pouco a pouco, vou te deixando louco!

Encho-te de desejo...

Levo-te ao delirio...

Teu corpo incendia-se com o meu,

e eu descubro-te!

Possuo-te!

Agora já não és um menino...

És um homem! E tão somente meu!...

quinta-feira, dezembro 20, 2007

Sonho


Ah... Como eu queria ter uma máquina do tempo....

Aquelas que nos levam, a uma qualquer época do nosso passado...

Nem que fosse, por um dia, eu voltaria aos meus 17 anos, e ao último Natal, passado na cidade de todos os sonhos....

Paris!

Voltaria a percorrer as ruelas mais escondidas, sentir de novo o cheiro doce a flores e perfumes, que não senti em mais lugar nenhum do mundo, onde em cada esquina, pintores de rua, pincelam na tela branca os seus sonhos, em forma de paisagens ou rostos de turistas, na esperança de um dia, alguém lhes dar o devido valor!

Naquela época, como eu gostava de me sentar perto deles, e perdia a noção do tempo, vendo as telas tomarem vida... os pincéis e os dedos, trabalhavam numa harmonia perfeita.

Voltaria a percorrer a avenida dos Champs- Élysées, onde em cada vitrine dos ateliers dos grandes costureiros, eu sonhava, com o dia em que pudesse comprar um daqueles vestidos lindos...

Voltaria a encontrar o meu primeiro amor...

E, a minha primeira desilusão, ( das muitas que estaríam para vir)...

Sentar-me-ía de novo, na nossa mesa da sala, para a ceia de Natal, com toda a familia, onde o meu pai, ainda estaría presente...

(Feliz Natal pai, onde quer que estejas...)

No fim da noite, antes de voltar, olharia para a minha cidade, pela última vez...

Há magia naquelas luzes, que nos hipnotiza, desde o primeiro momento, e nos deixa apaixonados pelo resto da vida!

Antes de regressar ao presente, ainda olharia, para aquela sala, onde na noite de Natal, de há uns anos atrás, foi decidida a minha vida, que a mudaria para sempre... ir viver para outro país... abandonar todos os meus sonhos... as minhas ilusões...

Nunca vou saber, como seria a minha vida, se aquela noite, não tivesse existido.

E, voltei ao presente!... acabou o sonho!!!


terça-feira, dezembro 18, 2007

Vida



Toma a tua vida em tuas mãos.

E não a entregues a ninguém.

Por mais que te amem, por mais que desejem o teu bem estar, só tu és capaz de saber o que realmente sentes.

E a impressão que passas para os outros, nem sempre corresponde ao que te vai na sua alma. Quantas vezes já sorriste, para disfarçar uma lágrima teimosa?

Quantas vezes quiseste gritar e sufocaste o pranto?

Quantas vezes quiseste sair correndo de algum lugar, e ficaste por educação, respeito ou medo? Quantas vezes tudo o que desejas-te era apenas um abraço.

Um consolo, uma palavra amiga e só recebeste ingratidão?

Quantos passos foram necessários para chegar até onde chegaste?

Criticar é fácil, mas usar o teu sapato ninguém quer, vestir as tuas dores ninguém quer, saber dos teus problemas, só se for por curiosidade.

Por isso, não entregues a tua vida nas mãos de ninguém, nada de acreditares que sem essa ou aquela pessoa, tu não vais viver...

Vais viver sim, o mundo continua girando e, se tu deixares, pode -te trazer algo muito melhor. Pegua o rumo da tua vida e aponta para onde a placa diz "caminho do sol!!

Na curva da felicidade, que te espera sem pressa, para viver com amor e intensidade, a paz, a harmonia e a felicidade!

sexta-feira, dezembro 14, 2007

Emoções!


É madrugada!

Sentada em frente ao computador, tento escrever, o que não consigo falar...

A cabeça dói-me... resultado de algumas noites sem dormir.

Os dedos tremem... Numa desobidiência total!

Estou a ser invadida por um turbilhão de emoções, e tenho a sensação que sou um barco, abandonado no mar, numa noite de tempestade.

Sou eu que estou ao leme, devia ser eu a controlá-lo, mas sinto-me impotente, cansada e resolvo deixá-lo entregue á sua sorte.

Inteiro, ou aos bocados, eu sei que ele vai ter a terra firme... Já aconteceram outras vezes!

E, eu, sempre tenho a disposição de o voltar a construir, e lançá-lo ao mar novamente.

Mas, hoje decidi que não!

Estou confusa, triste, mas com a absoluta certeza que desta vez, vou mesmo deixá-lo afundar.

Não vou apanhar os pedaços e voltar a construí-lo...

Não!

Estou cansada demais!

Sinto-me tão só!!!!

As lágrimas começam a cair, uma após a outra, e vão aquecendo o meu rosto, até desaparecerem no meu regaço.

Suplico ao meu cérebro, que me ajude a colocar ordem nas emoções, mas, até ele, que sempre foi tão competente, e que nunca me desiludiu, está com dificuldade em controlar o coração...

Estes dois orgãos nunca se deram muito bem... (opiniões divergentes).

O coração, sempre romântico e pouco responsável, sempre me levou a cometer erros, dos quais, alguns me arrependo... outros nem foram erros, apenas devaneios!

Durante anos deixei que fosse ele a comandar a minha vida...

Mostrou-se um péssimo lider!

Há uns anos, retirei-lhe o poder, e entreguei essa tarefa ao cérebro, que mostrou ser um excelente conselheiro, muito coerente um pouco frio ás vezes, mas nunca me deixou ficar mal.

Quanto ao coração, abandonei-o, entrou em hibernação!

Agora, deparo-me com ele a querer acordar, e a entrar em "guerra" com o cérebro, e tudo isto me deixa....

Paralisada!

Confusa!

Triste!

Fragilizada!

Sem saber, a quem entrego o poder de decidir a minha vida.

Interiormente estou em plena "guerra civil"!!!!

Nunca falo o que sinto!

Porque tenho medo, que seja o coração a falar por mim... Engulo as palavras, que queria gritar!

Tento escrevê-las, mas baralho tudo, ninguém as entende...

" O que vale, é que este blog, é quase como um diário, quase ninguém o lê!"



ps: Isto é um texto de ficção, qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência!


ou


ps: Isto é um texto real, qualquer semelhança com a ficção, não é coincidência!


..... eu bem disse que estava confusa!!!!!!!!!!!!!!

terça-feira, dezembro 04, 2007

Iha do Sal

Nesta pequena ilha, onde diziam, que eu não ía encontrar nada...
Eu descobri, um pequeno paraíso, cheio de gente linda e simpática, com uma hospitalidade franca...
O mar turquesa, contrasta com os campos áridos, estéreis...
A vegetação é nula, a população é pobre, mas o sorriso é cativante!
Apaixonei-me, por este povo, e notei que os portugueses agora no séc 21, é que descobriram este arquipélago!
O mar, convida-me a entrar nele, e a temperatura da água, é divina!
O sol, vem visitar-me todos os dias, estou a recuperar energia para os dias de Inverno que me esperam em Portugal.
A noite é sempre animada, com música e danças todas a noites, estou a aprender a dançar o "FUNANÁ" dança tipica daqui, não sei se estou a conseguir, mas esforço-me...
Ando cansada, mas feliz!
Não sei se muita gente vem ler o meu blog... mas gostava de saber quem.
Por favor deixem um pequeno coment....