Certa madrugada fria irei de cabelos soltos ver como crescem os lírios. Quero saber como crescem simples, belos e perfeitos!Ao abandono nos campos...

quarta-feira, setembro 19, 2012


Visionário? Ou mais do mesmo?...



Que fazer? Que esperar? Portugal tem atravessado crises igualmente más: - mas nelas nunca nos faltaram nem homens de valor e carácter, nem dinheiro ou crédito. Hoje crédito não temos, dinheiro também não - pelo menos o Estado não tem: - e homens não os há, ou os raros que há são postos na sombra pela política. De sorte que esta crise me parece a pior - e sem cura.”

Eça de Queirós, in “Correspondência” (1891)



"Nós estamos num estado comparável apenas à Grécia: a mesma pobreza, a mesma indignidade política, a mesma trapalhada económica, a mesmo baixeza de carácter, a mesma decadência de espírito. Nos livros estrangeiros, nas revistas quando se fala num país caótico e que pela sua decadência progressiva, poderá vir a ser riscado do mapa da Europa, citam-se em paralelo, a Grécia e Portugal"

(in As Farpas)

[1872 Eça de Queirós]







2 comentários:

G. disse...

Tudo o que tenho lido de Eça de Queiroz, Miguel Torga tem-se aplicado à nossa situação actual. Sinceramente penso sempre em visionário, mas se formos ver o que tem acontecido ao longo da história, a maioria da história é cíclica...

"É um fenómeno curioso: o país ergue-se indignado, come, bebe e diverte-se indignado, mas não passa disto falta-lhe o romantismo cívico da agressão somos, socialmente, uma colectividade pacífica de revoltados."
Miguel Torga

NightDark disse...

Os vícios são antigos e fazem parte de uma cultura própria instalada em Portugal!

Está na hora de a mudar...