Certa madrugada fria irei de cabelos soltos ver como crescem os lírios. Quero saber como crescem simples, belos e perfeitos!Ao abandono nos campos...

quinta-feira, novembro 22, 2012



Há dias assim.
Terríveis...
Dias que não chegam ao fim e quando chegam, parece que ainda nem começaram.
A cabeça num rodopio, os nervos miudinhos a aflorar a pele.
Dias como o de hoje em que só queria...
Não sei. Nem sequer sei o que queria.
Talvez que tudo ficasse suspenso.
Como os jardins da Babilónia em jeito de maravilha.
Como quando em crianças inspiramos muito antes de mergulhar e nem sabemos o que aconteceu, como se não existíssemos lá em baixo.
Apenas sabemos que estivemos debaixo de água quando os olhos aflitos e a respiração a encher de rompante os pulmões, quando já à tona de água.
Como um inspirar de vida e depois, nada.
Ir ali só para morrer um bocadinho e depois voltar.
Sabem como é?
Talvez que o mundo parasse.
O relógio ficasse quieto, que ao meu redor tudo ficasse mudo.
Para não ouvir.
Para não sentir.
Para não falar.
Para não pensar.
Não sorrir.
Não amar.
Nada.
Ficar encolhida num canto sem medo de nada porque nada mexe, nada avança, nada existe.
Quieta apenas.
Dias em que pudesse por momentos, não existir.
Hoje, não me apetece viver.
Sem que isso signifique morrer ou querer morrer.
Deve soar-vos estranho.
Mas hoje, nem sequer quero explicar.

6 comentários:

Flow disse...

Olha... só tenho uma coisa a dizer, conta comigo :)

Um beijinho

Eros disse...

Que surja um volte-face no teu dia então e que a Felicidade assome.

Beijinho

Sorriso disse...

Amanhã vai nascer um dia de sol e é dentro de ti e vais agarra-lo com força não o deixes escapar. Vá consegues! Por agora descansa. Até pode ser que já tivesse passado. Beijinho

homem sem blogue disse...

Venha de lá essa felicidade

homem sem blogue
homemsemblogue.blogspot.pt

Alexandra disse...

http://www.youtube.com/watch?v=rtOvBOTyX00


fica com essa música!


beijo!

Somente EU disse...

Hoje parte do dia foi assim e os próximos também serão. Não me parece nada estranho, :(

beijinhos.