Certa madrugada fria irei de cabelos soltos ver como crescem os lírios. Quero saber como crescem simples, belos e perfeitos!Ao abandono nos campos...

terça-feira, agosto 28, 2012

Não me lembro de quando aprendi a desenhar um coração.
Já não sei se me ensinaram na escola primária ou antes.
Só me recordo que quem o fez, ensinou-me a desenhá-lo inteiro.
Por isso, não acho justo que haja corações partidos e acredito que para cada um de nós há alguém que vai saber mantê-lo intacto, bonito, seguro e genuíno como o primeiro que desenhei, um dia, há muito tempo atrás, quando ainda era uma menina...



8 comentários:

MS disse...

lindo texto!

Dúvidas e Certezas disse...

Concordo plenamente! Fico sempre triste quando vejo um coração partido, um amor não correspondido e não percebo para que serve isso... As pessoas deviam todas gostar de quem gosta delas e pronto!!!

Eros disse...

Sem dúvida!

E não acredito em Amores não correspondidos. Se não há correspondência, não há Amor. Por muito que a pessoa enfeitiçada julgue Amar, Amar não é singular.

Mas isto sou eu, que tenho a mania de filosofias etéreas :)

Skin n Under disse...

O optimismo é uma coisa bonita

Jingas disse...

:)

gostei!

Susana Miranda disse...



Belo texto! :)

As” gavetas” da emoção são complicadas. As relações não sendo correspondidas…um projecto de vida é a dois.

Um dia destes…quando menos esperares…novamente ter o coração inteiro.

Falar é fácil! Não gosto de ver as pessoas com o coração partido.

homem sem blogue disse...

Lindo!

e sei que é isso que vai acontecer :)

homem sem blogue
homemsemblogue.blogspot.pt

Libelinha disse...

Os corações deviam ser sempre inteiros. Adorei o texto :D