Certa madrugada fria irei de cabelos soltos ver como crescem os lírios. Quero saber como crescem simples, belos e perfeitos!Ao abandono nos campos...

quarta-feira, outubro 17, 2012




Só aqui me sinto bem...

Sentada numa velha cadeira num sótão abandonado!
Vivo na sombra, ignoro meu nome, mas não esqueço a minha dor.
Aprendi a reerguer-me sempre a que vida me trapaceia.
Deito-me em lençóis de amargura e durmo com a tristeza, a mágoa e a desilusão...
Alimento a alma com a revolta acumulada, e as lágrimas que não choro ajudam a hidratar a vingança...
A desconfiança está sempre a meu lado não deixando que intrusos nos invadam.
Do alto desta porta vejo as aves voarem livremente, a inveja chega e faz-me desejar ser como elas... Mas o medo estava à espreita e aconselha-me a permanecer sentada.
Enterro as unhas nas palmas das mãos, mastigo a raiva misturada com lágrimas e faço um nó de sentimentos na garganta que teimo em não engolir... Quero-os aqui... Sempre presentes...
O meu peito é invadido por uma dor fria... O meu coração congelou!
Limita-se a fazer a sua função... bater!
Os meus olhos perderam a capacidade de ver, e os lábios cerrados protegem o sorriso e não deixam sair qualquer som...
Vivo na sombra... O Sol incomoda-me...
Esqueci quem sou...

[Alguém lembrará?...]



9 comentários:

Libelinha disse...

Haverá sempre alguém que se lembrará ;)

Flow disse...

Com esta capacidade de chegares ao outro (mesmo que apenas através da escrita) não tenho dúvidas de que muitos se lembrarão :)
Beijinhos

homem sem blogue disse...

Se te esqueces de quem és, é porque é grave.

Precisas de te animar!

homem sem blogue
homemsemblogue.blogspot.pt

LIRIO SELVAGEM disse...

Será Libelinha? Não sei...

LIRIO SELVAGEM disse...

Obrigada Flow, és uma querida, bjs

LIRIO SELVAGEM disse...

É gravíssimo HSB, nem imaginas...

NightDark disse...

Não gosto! :(

Quase nos "entas" disse...

Minha querida,
Não sei o que te dizer....mas quero que saibas que estou aqui...à distancia de um clique
Beijinhos

Susana Miranda disse...


Tens a riqueza de transmitir o que sentes (escrita), cada um de nós tem a sua riqueza (não falo bens), cada um consegue manifestar-se diversas formas.

De certeza não serás esquecida.

Qualquer que seja o motivo, é necessário não esmoreceres.

Beijinho