Certa madrugada fria irei de cabelos soltos ver como crescem os lírios. Quero saber como crescem simples, belos e perfeitos!Ao abandono nos campos...

segunda-feira, março 18, 2013



Hoje olho-te com a indiferença de um passado distante.
Já não sinto aquele aperto imenso dentro do peito.
Já não sinto o coração a bater descompassadamente.
Já não baixo o olhar, limito-me a seguir adiante.
Já não sinto mágoa, nem dor nem sequer despeito.
Já não sinto tristeza nem choro como antigamente.
Hoje olho-te à distância de um amor imenso.
Que foi sem nunca ter sido mais que uma ilusão.
Hoje olho-te à distância e com um sorriso penso
Que és de todas a minha mais doce recordação.
Hoje olho-te à distância e não consigo evitar a saudade
Que a tua simples presença trás à minha memória.
Hoje olho-te à distância e sinto em mim essa verdade.
Que me diz que és sem ter sido a minha melhor história!

3 comentários:

Libelinha disse...

Há que saber viver as histórias do passado... Recordá-las da melhor maneira ;)

Sandra Silva disse...

Subscrevo a libelinha ;)

Buenas!!

Anónimo disse...

Espero um dia poder dizer o mesmo......